terça-feira, 11 de janeiro de 2011

PREVISÕES PARA 2011


Para a cigana Celina, que trabalha há nove anos no bairro de Tsurumi, em Yokohama, atendendo clientes vindos de todas as partes do mundo, 2011 será um ano ainda mais difícil do que 2010 foi. "No Brasil, a fartura e melhorias ficam somente nas grandes capitais e os governantes não darão apoio à quem está no interior. Os jovens continuarão a procurar seu lugar fora do Brasil, inclusive no Japão, país que ainda tem dinheiro."

Leia abaixo as previsões para cada assunto:

Mundo:

Acontecerão conflitos próximos ao Japão, mas estes não afetarão diretamente o país. Até o mês de abril veremos conflitos entre as Coreias e a China, mas o Japão, sabendo que não tem força suficiente para combater, se manterá fora da discussão mesmo que hajam provocações. São Jorge ainda trabalha com o Japão e estamos protegidos.

Brasil:

Os governantes são conservadores quanto a ter uma mulher no comando, estão inconformados e apenas passando a aparência que aceitaram esta situação. A única vantagem do Brasil é que, no momento, está sendo muito badalado pela mídia mundial e com isso está atraindo muitas atenções para si. Mas isso continuará apenas até que aconteçam os eventos esportivos que sediará nos próximos anos.

A inveja do mundo com relação ao Brasil está muito grande. O país tem o álcool e sua própria fonte de energia, o que aparentemente parece ajudar muito, mas na verdade utiliza muitas fontes do interior para gerar lucro apenas para a capital. Tudo parece bonito, mas na verdade, nas casas não se tem o pão e o leite de cada dia. Só quando acabar a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 é que o Brasil vai ver sua realidade e perceberá que não lhe restou mais nada.

O Brasi está somente sambando e rodando dentro do círculo dos acontecimentos. O povo tenta se iludir e, por enquanto, isso é divertido. Mas no dia de amanhã, quando faltar o alimento para o povo, a realidade se mostrará. A orientação no momento é parar de sonhar grande e garantir as coisas realmente necessárias.

Para quem mora nas grandes capitais 2011 será muito bom, mas para quem está no interior, a situação vai piorar. Sobre a guerra com os traficantes, a polícia está usando a força e este não parece ser o caminho certo.

Japão:

Muitos estrangeiros continuarão a vir trabalhar no Japão, mas a criminalidade, que já vem atrapalhando a imagem dos imigrantes, será um fator negativo para todos.

Neste país sempre encontramos alguém que nos estende a mão. O governo continuará a ajudar os brasileiros, pois o país ainda tem dinheiro para isso. Temos que agradecer e sermos honestos. Não adianta fazer coisa ruim, cometer crimes ou culpar terceiros pela situação em que nos encontramos.

O Japão vai sair da crise em cerca de três anos e meio. Temos mais esse tempo para atravessar a crise e chegarmos à primavera. As pessoas precisam aprender a economizar, a não gastar com supérfulos e usar o que têm nas mãos. Ainda vamos atravessar um inverno financeiro rigoroso e temos muito chão de gelo escorregadio para encarar até que a situação financeira fique estável.

Ainda há trabalho na área de alimentos e fabricação de coisas pequenas, mas não vejo o dinheiro entrando no bolso do povo. Haverão portas abertas para muitas pessoas, mas a colheita será feita de moeda em moeda, só assim que será possível juntar dinheiro. É necessário valorizar o pouco que se tem.

Comunidade:

Voltar para o Brasil é pura besteira, sinto muito falar desse jeito, mas se aqui no Japão está assim, imagine lá. Então temos que tratar de segurar o pouco que temos aqui e fazermos economia para quando o Japão sair da crise podermos ter alguma coisa na vida. Em 2014, a primavera econômica chegará para o Japão.

A educação das crianças é um ponto que merece atenção. Muitos me procuram para pedir ajuda nesse sentido, mas não há proteção amuleto ou patuá que resolva esse tipo de problema. Os pais precisam se empenhar em educar seus filhos e a ensiná-los o valor das coisas. Temos muitos jovens perdidos na comunidade.

Fúria da natureza:

No mundo teremos muitos problemas com o tempo. Vejo água e muitos deslizamento de terra. No Brasil vejo água e seca.

Meses:

O mês mais difícil que vamos passar será maio. Depois do dia 10 de maio a situação ficará mais difícil para nós, não teremos dinheiro. No mês de novembro também enfrentaremos dificuldades. Por isso, aconselho a guardar um dinheiro como reserva para momentos como estes que teremos pela frente.

Um comentário:

Ligiamontsegur disse...

Depois dos terremotos e tsunami seus guias te abandonaram ein...